Ir para Página Inicial

2. Pigmentações

Conceito: Acúmulo ou formação de pigmentos nos tecidos.

Podem ser classificados em:

  • Pigmentação Endógena (derivados da degradação das hemácias melanina).
  • Pigmentação Exógena (pigmentos externos que podem ter sido inalados, ingeridos ou absorvidos).

Nesta aula vamos estudar os pigmentos de origem endógena e exógena. O objetivo será visualizar o acúmulo dos pigmentos no tecido e sua relação com as estruturas adjacentes.

2.1 Exógenas

2.1.1 Tatuagem por amálgama

Mancha provocada pela inserção de partículas de amálgama no tecido conjuntivo.

Descrição

Fragmento de mucosa bucal revestida por epitélio estratificado pavimentoso ceratinizado, onde podemos observar no tecido conjuntivo fragmentos sólidos, escuros, acastanhados e dispersos entre as fibras caracterizando fragmentos de amalgama (setas). Os sais de prata do amálgama tem afinidade com as fibras reticulares, especialmente aquelas que circundam os nervos e vasos.

Dados importantes para o diagnóstico

Retenção de fragmentos de pigmento exógeno – amálgama de forma dispersa e reticular, acompanhando as fibras colágenas do tecido conjuntivo (setas).

Diagnóstico

Tatuagem por amálgama.

2.2 Endógenas

2.2.1 Nevo

Proliferação benigna de células névicas.

Descrição

Fragmento de mucosa bucal contendo no tecido epitelial proliferação de células pequenas, escuras e ovoides (células névicas). As células névicas superficiais tendem a estar organizadas em agregados pequenos e arredondados denominados tecas. Com núcleo pequeno e uniforme e uma quantidade moderada de citoplasma eosinófilico com limites celulares indistintos, algumas células névicas apresentam pigmento acastanhado no seu interior. Nesta lâmina, o acúmulo de células névicas está no tecido conjuntivo e no tecido epitelial sendo considerado nevo composto (setas).

Dados importantes para o diagnóstico

Célula melânica, pigmentada na porção superficial da lesão podendo estar presente no tecido epitelial ou no tecido conjuntivo.

Diagnóstico:

Nevo.


2.2.2. Pigmento por Hemossiderina

É um pigmento resultante da destruição da hemoglobina (pigmento que confere a cor vermelha às hemácias), sendo consequência do depósito em excesso de ferro.

Descrição

Fragmento de mucosa bucal no tecido conjuntivo podemos observar inúmeros cristais de colesterol, alguns com células gigantes justapostas. Em áreas focais, nota-se degeneração hialina do conjuntivo caracterizada por focos de aspecto róseo, homogêneo e vítreo. Focos de hemorragia e hemossiderina (setas) também podem ser notados.

Dados importantes para o diagnóstico

Observar hemácias aglomeradas no tecido conjuntivo e pigmento de coloração acastanhada e birrifringentes.

Diagnóstico

Granuloma Periapica


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0